O recente acontecimento trágico no Japão, no que diz respeito à explosão dos reatores da central nuclear em Fukushima, levou-me a refletir sobre este tema. Pretendo mostrar-te a quantidade de centrais nucleares espalhadas pelo mundo. O nosso planeta é uma autêntica “bomba”!

O homem minou-o de tal maneira que a humanidade pode vir a sofrer as consequências de eventuais acidentes. O perigo é constante, tanto para os seres humanos, como para os animais animais, assim como, para a atmosfera. 

Sinceramente, o homem é demasiado ignorante! Prefere correr sérios riscos, ao invés de utilizar alternativas. 

O acidente mais grave e que marcou a humanidade refere-se ao ocorrido na central nuclear de Chernobyl. A 26 de abril de 1986, localizada no norte da Ucrânia.

Este acidente dissipou a cidade de Chernobyl, devido a uma explosão num dos reatores da central nuclear. O que originou uma enorme nuvem radioativa. Esta contaminou todos os seres humanos que ali habitavam. Assim como, todo o ambiente à sua volta, incluindo os animais.

Central nuclear de Chernobyl, após a explosão.

Este acontecimento trágico libertou 400 vezes mais de radiação para a atmosfera, do que a bomba atómica de Hiroshima, no Japão, em 1945.

Se conseguires imaginar estes altos níveis de radiação espalhados no ambiente, conseguirás visualizar o quão grave foi este acidente.

Para que seja do teu conhecimento, a contaminação por radiação nuclear, mata, produz queimaduras graves na pele. Assim como, também aumenta o risco de cancro e de mutações genéticas.

Em Chernobyl, cerca de quatro mil pessoas morreram. Apesar de outras entidades avaliarem cerca de cem mil mortos. Vários outros países foram afetados com a radiação.

Este acontecimento horripilante é uma amostra do que na realidade pode acontecer a qualquer país que possua uma central nuclear.

Como sabemos, os acidentes acontecem, e as consequências são inevitáveis. Nestes casos, devastadoras!

E quem sofre?

São as pessoas inocentes que não pediram a construção de tal “bomba”.

Seguros?

Não estamos de certeza!

Mas de uma coisa eu tenho a certeza. Os “poderosos” decidem pela humanidade, ao construírem centrais nucleares sem a autorização da maioria. Na minha opinião, não é justo! A humanidade deveria de ter o direito a decidir também. 

Onde fica a opinião da maior parte das pessoas?

Não conta!?

Sinceramente, algo está errado no mundo! As leis foram feitas a favor dos ditos “poderosos”, e não do povo.

Infelizmente, posso dizer que vivemos num mundo em que a minoria decide pela maioria, quando deveria de ser o contrário!

Atualmente, Chernobyl é considerada uma cidade fantasma.

É triste ver a destruição que o homem causa ao planeta, aos seres humanos, aos animais… Estes, não têm culpa da irracionalidade da minoria, que decide o seu destino.

Não me canso de dizer, o homem a pouco e pouco, está a levar a humanidade, e a si próprio, à autodestruição!

Chernobyl, a cidade fantasma pelo menos durante mais “150 anos”.

Palavras para quê!?

Nos dias de hoje, e passados tantos anos, as pessoas ainda estão a sofrer na pele as consequências de Chernobyl. Desde o aparecimento de cancro, ao nascimento de crianças com deformações (mutações).

Em relação ao acidente recente (11 de Março de 2011) na central nuclear de Fukushima, no Japão, já é comparado, em certa parte, ao acidente de Chernobyl. Este acidente nuclear ocorreu após um terramoto, seguido de um tsunami. Vários incêndios e explosões danificaram os reatores da central. O que originou a fuga de radiação para a atmosfera.

A radiação, como já referi, é demasiado prejudicial (quando em níveis elevados) para os seres humanos, animais, e para a natureza. A radiação pode alterar a estrutura das células, isto “porque as partículas são capazes de atravessar objetos e entrar no organismo.”

Fonte: G1, com informações da Reuters e AFP

“O governo japonês avisou que a crise da usina nuclear de Fukushima provocou vazamento de radiação que poderia afetar a saúde e recomendou aos moradores que vivem num raio de até 30 quilómetros de distância que fiquem nas suas casas, desliguem os sistemas de ventilação e fechem as janelas.”

Em Tóquio, as pessoas foram avisadas para não beberem água das torneiras, principalmente, a não a darem a beber a crianças, devido aos níveis elevados de iodo radioativo. Assim como, a não consumirem leite, nem hortaliças.

Ao agirem desta forma estará o povo japonês seguro?

Na minha opinião, não me parece que esteja seguro. Visto que a radiação é uma “arma” mortífera invisível.

Posso dizer-te que o acidente de Chernobyl foi o mais grave, atingiu o nível 7 (a escala varia de 1-7), o da ilha Three Mile, nos Estados Unidos da América foi classificado de nível 5, e agora, o recente acidente no Japão, já é considerado de nível 6 (quase tão grave, quanto o de Chernobyl).

Estes acidentes que ocorrem nas centrais nucleares levam-nos a pensar em algo muito importante. Os governos do mundo inteiro deveriam de refletir bem sobre o assunto, e nas consequências em caso de acidente. Isto, antes de decidirem construir centrais nucleares.

Pergunto-me, e se os terroristas se lembram de atacar as centrais nucleares dos países que as possuem?

Na minha opinião, seria uma tragédia sem limites. Seria o fim de muitos países, de muitas pessoas, de muitos animais… Seria o fim da natureza como a conhecemos, da atmosfera ainda respirável… Enfim! O homem que autoriza a construção de centrais nucleares é demasiado irresponsável!

Francamente, a humanidade deveria poder votar a favor ou contra a construção deste tipo de “bombas”. Infelizmente, os seres humanos não têm esse direito! 

Porquê? 

Não consigo entender!

Por um lado, este acidente no Japão fez com que muitos países ganhassem consciência do perigo de se construir centrais nucleares. O que vai levar a uma reavaliação das vantagens e desvantagens deste tipo de energia.

Também nos mostrou, que os planos de segurança, que supostamente deveriam funcionar em caso de acidente, falharam. As consequências são imprevisíveis.

Na minha opinião, todas as que existem deveriam de ser encerradas, e arranjar-se alternativas não prejudiciais à humanidade.

Visualiza o mapa abaixo, mostra-nos bem o quão minado de centrais nucleares se encontra o nosso planeta Terra. É horripilante!

Imagem retirada do site, “Internet para todos”.

“Alguns dados deste mapa:

– Existem 442 reatores nucleares em 29 países.

– 65 centrais estão em construção.

– Os EUA têm 104.

– A França é o país mais dependente desta energia com 58, cobrindo 76% do consumo.

– O Japão tem 54 reatores.”

Imagem retirada do site, “Internet para todos”.

Como podes constatar no mapa (acima), o nosso país não possui nenhuma central nuclear. Mas não significa que esteja livre de um dia (se tal acontecer, esperemos que não) estar sujeito a radiação. Principalmente, vinda, por exemplo, de uma das centrais nucleares de Espanha, esta encontra-se muito perto de Portugal. Ou de um outro país da Europa, visto que uma nuvem radioativa percorre milhares de quilómetros.

Já imaginaste o perigo que a população mundial corre?

Só de imaginar é demasiado aterrador! Assusto-me só de pensar na destruição que daí poderia advir. Estamos mesmo muito vulneráveis. A segurança não existe, é ilusória…

E quem colocou a humanidade nesta situação?

O homem ganancioso que só pensa em lucros, e não dá valor nenhum à vida!

Por muito que tente, não consigo aceitar os “senhores, ditos poderosos” que são livres de decidir o que quer que seja.

Nós, seres humanos comuns, temos de nos sujeitar aos caprichos destes homens “poderosos”, dos que decidem o nosso destino. Nem sequer podemos contestar. Não temos votos na matéria. É demasiado revoltante!

Quem me dera que esses homens entendessem que só existe um planeta habitável no nosso sistema solar. Esse planeta é o nosso, não existe mais nenhum igual!

Onde julga o homem poder viver se destruir a nossa casa global?

Espero que este homem ambicioso um dia desperte… Só espero é que não seja tarde demais!

Esta dura realidade existe!

Não é ficção!

Pergunto-me, porque é que se continuam a construir centrais nucleares pelo mundo?

Ainda mais, quando é de conhecimento público as consequências de Chernobyl. E agora, mais recentemente, do Japão.

Os homens têm a capacidade de se esquecer com muita facilidade, do sofrimento que causaram aos seres humanos inocentes, das suas ações impesadas do passado… Sinceramente, não entendo! Não deveriam eles aprender com os erros? Vá-se lá entender!

mas estas conversas picantes são perigosas….

4 comentários

nokitas · 29 de Outubro de 2012 às 13:36

Sem dúvida, Rubens! Infelizmente, os tempos que vivemos não são mesmo nada agradáveis de se observar, quanto mais ter-se que conviver com tal situação… só espero que a humanidade desperte a tempo de tentar corrigir todo o mal que está a causar ao planeta, às pessoas e aos animais…

Rubens · 29 de Outubro de 2012 às 13:28

kara concordo plenamente com vc, as pessoas acham que viviemos em bons tempos mas a humanindade so se deteriora: guerras geram crises, crises geram desempregos, desempregos geram fome, fome gera miséria. o ser humano se torna frio a cada dia que passa…

Raphael · 9 de Outubro de 2012 às 19:59

Bem, o Japão não é exatamente o melhor lugar para se construir qualquer coisa…
Na minha opinião, o que deve se estudar é como reaproveitar os rejeitos radioativos que são o grande problema da energia nuclear.

T. Rosa · 26 de Março de 2011 às 12:20

As escrituras não mentem ,, e ninguém poderá alterar o triste destino da TERRA ! Será que alguém vai encontrar um planeta de substituição antes da auto destruição ( fim do mundo ) ? ? ? Não estarei ca para ver, mas as futuras gerações ? Triste herança lhe deixamos ! ! ? ?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos relacionados

A realidade do nosso mundo

Je suis Charlie

Em relação a estas mortes de pessoas inocentes, interrogo-me, será que foram mesmo os “terroristas”? Ou tal não convinha aos governos? A dúvida na minha cabeça permanece. Com isto, não quero formular teorias da conspiração, Ler mais…

A realidade do nosso mundo

Albinismo: preconceito, perseguição, mutilação, assassínios…

São raras as vezes que ouvimos as palavras, albinismo ou albino. Por saber que existem muitas pessoas que desconhecem tais conceitos decidi escrever sobre este tema. Espero que os seres humanos entendendam que os albinos são seres Ler mais…

A realidade do nosso mundo

Comprarias um chocolate, se soubesses que quem recolhe o cacau são crianças traficadas?

“Ninguém deve ser mantido em escravatura ou servidão; a escravatura e o comércio de escravos são proibidos em todas as suas formas.” (Artigo 4º da Declaração Universal dos Direitos Humanos) Infelizmente, e cada vez mais, Ler mais…