Como sabemos, a Terra é conhecida como Planeta Azul. Ela é coberta de 71% de água, e esta é essencial para a vida na Terra. 

A vida nos oceanos surgiu à aproximadamente 3,5 milhões de anos. Infelizmente, o homem está a destruir este bem precioso que aloja imensas espécies.

Com que direito uma pequena minoria da humanidade destrói o habitat de tantos seres?

Nós, seres humanos comuns, simplesmente observamos esta destruição, e nada fazemos! Temos de começar a agir!

Para que seja do teu conhecimento, os oceanos alojam vários tipos de ecossistemas e todos eles ricos em biodiversidade. Existem formas de vida variadas, desde bactérias, às baleias. São raros os grandes grupos de organismos que não têm um representante marinho. (José Sabino)

O objetivo deste texto é dar a conhecer às pessoas a destruição e poluição dos oceanos.

Como é de conhecimento geral, a poluição é gerada pela atividade humana, e está a prejudicar os oceanos a uma escala inimaginável para a maioria das pessoas. A maior parte dos ecossistemas neles existentes estão a entrar em colapso, espécies marinhas estão a extinguir-se, e habitats oceânicos são destruídos. (Greenpeace)

As sociedades industrializadas são as grandes responsáveis pela destruição do oceano global.

Vejamos, a exploração dos oceanos por parte da indústria pesqueira tem excedido a capacidade da natureza em repor o peixe. Os rápidos avanços tecnológicos originaram embarcações de grandes dimensões. Consequentemente, imensas espécies são pescadas de forma inadequada, causando um desequilíbrio nos ecossistemas marinhos.

Muitas espécies já foram extintas, e outras estão em risco de extinção.

“As populações de predadores de topo, indicador chave da saúde dos ecossistemas, estão a desaparecer a um ritmo assustador, e 90% dos peixes de grande dimensão que muitos de nós adoramos comer, o caso do atum, do peixeespada, do espadarte, do bacalhau, do halibute, da raia e da solha – foram dizimados desde que a pesca industrial de grande escala se iniciou nos anos 50. O desaparecimento dessas espécies de predadores de topo, pode provocar alterações nos ecossistemas dos oceanos (…). Estas alterações colocam em risco a estrutura e o funcionamento dos ecossistemas marinhos, e ameaçam desse modo o sustento dos que dependem dos oceanos, tanto atualmente como no futuro.” (Greenpeace)

Para te dar um exemplo, a indústria pesqueira, devido ao declínio das reservas de peixes comestíveis no mundo, estão a voltar-se para os tubarões como fonte alternativa de alimento. O que pode vir a provocar efeitos catastróficos não somente nas populações de tubarões em geral, mas também nos ecossistemas marinhos como um todo. A sobrepesca está a reduzir dramaticamente a população de tubarões no mundo. (Discovery)

Quando irá o homem ganhar consciência que as suas ações o estão a prejudicar? Assim como, às gerações vindouras?

Todas as ações impensadas do homem, destrutivas, estão a levar-nos rumo à autodestruição.

Quando será que o homem entenderá que o dinheiro não se come?

Onde fica, no meio de tudo isto, o parecer da humanidade?

Por favor, olhem para a realidade à vossa volta!

Não façam parte das pessoas que vivem inconscientes, obcecadas pelo consumo, sem perceberem que é esse mesmo consumo em excesso que está a destruir o mundo.

Até quando vamos ficar de braços cruzados?

Ficamos com uma pequena ideia de como a sobrepesca prejudica a capacidade da natureza em repor o peixe. Mas, para além deste aspeto, há outro. Devido à sobrepesca TONELADAS de PEIXE vão PARAR ao LIXO! E com tantas pessoas a morrem à fome no mundo, e inadmissível!

Este desperdício acontece, quando não existem condições para se armazenar o produto ou quando não existem compradores suficientes para comprar tanto pescado.

Realmente, dá que pensar!

Porque é que o homem continua a pescar em excesso?

Porque é que o homem não ganha consciência de que está a destruir uma das bases da nossa alimentação?

Porque é que o homem não entende que o desequilibro dos oceanos põe em risco a vida na Terra?

É URGENTE, por exemplo, que a pesca das espécies ameaçadas (e não só) seja feita de modo sustentável. (Greenpeace)

O lixo nuclear (uma grande parte) é depositado no fundo dos oceanos. Este é outro fator que poderá destruir o mundo marítimo. O mais CHOCANTE é que este tipo de lixo pode continuar radioativo durante milhões de anos.

O lixo nuclear é formado por compostos radioativos. Este tipo de lixo é produzido nas centrais nucleares, por exemplo, sobras de urânio. Assim como, pela fabricação, manutenção ou desativação de armas nucleares.

Ou ainda, por alguns instrumentos de exames médicos que usam produtos radioativos. Como por exemplo, as máquinas de raio-X.

O lixo nuclear é extremamente perigoso, existem diversas normas de segurança internacionais para o modo de ser transportado, tratado e isolado. De forma a evitar-se acidentes ou contaminação por radiação (suapesquisa.com). Se por acaso houver contaminação, pode levar à morte, ou ao aparecimento de cancro no ser humano. 

Imagina acontecer uma fuga num dos contentores (utilizados no armazenamento de lixo nuclear) depositados no fundo dos oceanos?

Seria demasiado catastrófico. O peixe seria contaminado, e por sua vez, nós!

Olhamos para estas ações do homem, e pensamos, porque é que o homem é considerado o mais inteligente, o mais racional de todas as espécies?

Na minha opinião, não é!

O homem é burro! É o único que se autodestrói e leva à extinção outras espécies.

Para que seja do teu conhecimento, a Suécia construiu um depósito de lixo atómico, debaixo do oceano. O depósito de Foshmark (como é conhecido), um túnel a 50 metros abaixo do fundo do mar. No coração de uma rocha de 1,9 milhões de anos. Neste local, todo o lixo nuclear produzido neste país é sepultado para “sempre”… (http://g1.globo.com/jornal-nacional/noticia/2011)

Que ignorante que o homem é!

Para “sempre”!? 

É impossível!

Tudo está em constante movimento. Por isso, o “para sempre” não existe, é uma ilusão!

Devido aos erros do homem, a humanidade no futuro poderá vir a sofrer graves consequências.

Como é triste existirem homens que só pensam em dinheiro, dinheiro, e mais dinheiro. Lamentavelmente, não pensam na segurança da humanidade!

Por ano, no depósito de Foshmark, 100 toneladas de lixo nuclear são lá depositados. Mas, os suecos não ficaram por aqui… Eles decidiram ir ainda mais fundo. Ou seja, estão a escavar um outro túnel, dez vezes maior que o anterior. A 500 metros abaixo do fundo do mar. Qual é o objetivo?

Vender espaço. Para que outros países também se possam livrar do lixo nuclear. (http://g1.globo.com/jornal-nacional/noticia/2011)

Eu não digo?

Quando é que será que o homem vai entender que o dinheiro não é o mais importante?

O mais estúpido do projeto é que 80% da população local consentiu.

Será que a população está verdadeiramente consciente dos riscos?

Na minha opinião, não está!

As pessoas consentiram o projeto, porque acreditaram nas mentiras que lhes contaram, e nada mais!

Para além dos locais escolhidos para se armazenar lixo nuclear, no fundo do mar, também alguns cargueiros (navios de carga) têm afundado nos oceanos. Juntamente com eles, bidons de detritos radioativos…

Por exemplo, a Máfia calabresa (Itália) terá sido paga nos últimos vinte anos para afundar lixo nuclear. Um dos casos diz respeito ao navio Cunsky, com cerca de 120 metros, que foi afundado com 120 bidons de detritos radioativos. (http://pt.euronews.com)

Imagina uma fuga num destes bidões… Até arrepia só de imaginar!

Como já abordei numa das minhas publicações, a França possui 58 reatores nucleares.

Agora, constata a quantidade de lixo nuclear que este país produz.

“1,3 milhões de metros cúbicos de lixo nuclear, mas este volume pode dobrar até 2030, devendo atingir os 2,7 milhões de metros cúbicos. (Agência nacional para gestão de detritos radioativos – Andra). Os restos radioativos vêm principalmente das centrais nucleares (59%). Mais os laboratórios de pesquisas (26%), as atividades militares (11%), a indústria não nuclear (3%) e o setor médico (1%) também contribuem para esses números. Segundo a Andra, a produção desse tipo de detrito “representa o equivalente de 2 kg por ano e por habitante” na França.” (http://www.portugues.rfi.fr)

Qual será o destino para esta quantidade exorbitante de lixo nuclear? Eis a questão!

O homem é psicopata!

Infelizmente, lixo militar radioativo também foi depositado no oceano. No final da Segunda Guerra Mundial, “trinta e seis navios alemães foram afundados propositadamente com 168 mil toneladas de material de guerra química, e estão a apenas 600m de profundidade, o equivalente a aproximadamente 7 minutos de caminhada. Este lixo nuclear fica em águas próximas a Arendal na Noruega. O local é um dos maiores depósitos de lixo químico do mundo. Pescadores da região têm sofrido danos permanentes à saúde pelo contacto com gás mostarda vazados de recipientes capturados nas suas redes, e hoje não se sabe o que será mais perigoso: retirar este lixo daquele local ou deixar que o material vaze e se dilua no oceano.” Este tipo de lixo, também existe no mar Báltico e no mar Norte. (www.cfh.ufsc.br)

Pergunto, e atualmente, onde irá parar o lixo militar radioativo?

Depósito de lixo nuclear


O homem também polui os oceanos com PLÁSTICO!

Como deve ser do teu conhecimento, a indústria produz toneladas de plástico, tendo este tipo de material uma vida útil curta.

Mas nem sempre o plástico vai parar aos locais adequados, ou seja, uma imensa quantidade de plástico vai parar aos oceanos. Por exemplo, os nurdles (bolinhas de pré-produção de plástico) vão parar ao oceano, que por sua vez, chegam às praias. Tal acontece, porque durante a descarga deste material nos portos, parte cai no mar, poluindo-o. Sinceramente, não entendo o homem! Porque é que não se evita o vazamento de tal material?

Os nurdles também podem poluir os oceanos devido a catástrofes, como foi o caso do tufão Typhoon Vincent, que atingiu Hong Kong. Centenas de sacos de plásticos de 25 kg contendo nurdles foram parar às praias deste país.

Foram descobertos mais de “250 sacos, dos quais aproximadamente 50% tinham derramado o seu conteúdo mortal para o ecossistema. Isto é o equivalente a um derramamento de óleo solidificado. Cada saco contém aproximadamente 1 milhão de paletes. O problema maior é que este material absorve toxinas e poluentes, ficando com uma cor castanha amarelada. Quanto mais escura a cor sedimentada, mais tóxico é. Pequenos peixes, aves e até mesmo grandes espécies, tais como baleias, tubarões-baleia e raias, comem essas partículas. Estas são confundidas com ovas de peixe. Uma vez engolidas, os animais ingerem todo esse tóxico, e muitas vezes morrem. O peixe maior come o peixe menor, e isso continua por toda a cadeia alimentar, espalhando a toxicidade em frutos do mar, que vão acabar nas nossas mesas para consumo humano”.   (http://seashepherd.org.br/praias-de-plastico/)

Nesta imagem podem ser observados os nurdles

É triste ter-se consciência das ações irresponsáveis do homem!

Com que direito se matam seres indefesos por causa de lucros?

Como é do nosso conhecimento, o plástico está presente nas nossas vidas. Só para te dar um exemplo, “um saco de plástico é usado em média durante 12 minutos e demora centenas de anos a decompor-se”. Na minha opinião, deveriam existir alternativas aos sacos de plástico. O mais importante é preservar todas as vidas existentes no planeta terra.

É preciso “coragem para entender que tudo aquilo que fazemos afeta a história do mundo.”

A poluição com este tipo de material (plástico) é uma das maiores ameaças à vida no planeta.

Infelizmente, neste momento, existe uma “ilha” de plástico acumulado no Oceano Pacífico.

Aconselho-te a ver este vídeo.

Esta “ilha” é considerada a maior concentração de lixo no mundo. “Oficialmente conhecida como giro subtropical do oceano Pacífico norte, mas oceanógrafos, biólogos e navegadores já lhe deram um nome mais apropriado: Grande Mancha de Lixo do Pacífico. Trata-se de um lugar de confluência entre grandes correntes oceânicas, onde quase tudo que boia pela costa oeste dos EUA chega, espiralando lenta e continuamente na direção de um monstro de lixo que se torna cada vez maior dia após dia. O monte de lixo tem 2.200km de comprimento por 800km de largura, cobrindo a inacreditável área 1,76 milhão de km². A marinha dos EUA calculou que devam existir ali nada menos que 03 milhões de toneladas de plástico, ou 5,1kg/km².” (http://outrasverdadesinconvenientes.blogspot.pt/2012_03_01_archive.html)

Foto do vórtex no Pacífico

“O oceanógrafo Curtis Ebbesmeyer, que pesquisa esta mancha há 15 anos compara este vórtex a uma entidade viva, um grande animal se movimentando livremente pelo Pacífico. E quando passa perto do continente, você tem praias cobertas de lixo plástico de ponta a ponta.” (http://thephantomgate.forumotion.com/t363-poluicao-um-oceano-de-plastico)

São muitos os animais que morrem asfixiados por sacos de plástico ou por grandes peças de plástico. Por exemplo, baleias, golfinhos, tartarugas, aves marinhas, entre outros.

Tartaruga deformada devido a um anel de plástico

Albatroz morto devido ao excesso de plástico ingerido, como se pode observar na imagem.

Até quando continuaremos a consumir FUTILIDADES em excesso?

Até quando o homem irá continuar a matar tantos seres indefesos?

Até quando iremos continuar a poluir?

Até quando iremos aguentar viver assim?

Até quando o nosso planeta aguentará?

ATÉ QUANDO?

Podemos viver sem causar danos às outras espécies, sem prejudicarmos a natureza. Para tal, é necessário que as indústrias sejam mais responsáveis. Elas devem “recuperar e reutilizar os seus produtos. Incluindo incentivos económicos, para promover a recuperação e a extinção dos produtos descartáveis.”

O homem comum, o consumidor, também deve aprender a reciclar ao invés de deitar para o chão. 

Se o plástico dos últimos 70 anos ainda existe no ambiente, imagina a quantidade absurda existente neste momento?

Dá que pensar, não dá?

Torna-te consciente!

Não sejas um ser comum, que nada faz!

Age de forma a contribuíres para a preservação e conservação de um planeta saudável. Pois, cada um de nós pode contribuir para a preservação do meio ambiente. Por exemplo, deixar de usar sacos de plástico e usar os reutilizáveis, os biodegradáveis, recicláveis. Assim como, fazer sempre a separação do lixo e depositá-lo no devido lugar (ecoponto). Imagina as toneladas de lixo que se evitam de ir parar aos oceanos…

Actualmente, não existem “estatísticas precisas sobre a poluição oceânica, mas os cálculos são de que passa de 600 milhões de toneladas a quantidade de plástico. Segundo o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma), o plástico representa 70% de todos os detritos encontrados no mar, com 46 mil pedaços flutuando a cada 2,58 km² de oceano.”

Imagina daqui a uns 10 anos (ou até menos)? Quantas toneladas a mais de lixo existirão acumuladas no oceano?

O plástico que flutua nos oceanos, e o que dá à costa, ainda o conseguimos ver. Mas, e o que é afundado, por exemplo, pelas algas?

Já imaginaste a quantidade de plástico que poderá estar depositada no mar?


É muito revoltante!

Na minha opinião, os governos sabem desta dura realidade e nada ou quase nada fazem.

Até quando eles vão continuar a pensar só em lucros?

Quando terão consciência de que (como já referi imensas vezes) o DINHEIRO NÃO SE COME!

Por favor, vamos parar de uma vez por todas de agir como se fôssemos imortais, pois nós não somos!

Nós dependemos da vida saudável do planeta, se colocarmos a sua saúde em risco, estamos a colocar a nós mesmos nessa situação.

Vamos parar de agir inconscientemente, e ganhar consciência de que o lixo que sai das nossas casas não desaparece! Indo, a maior parte das vezes, parar a locais inadequados.

O que descrevi são simples exemplos dos tipos de poluição existentes nos oceanos. Como deves saber, existem outras. Por exemplo, as empresas petrolíferas, as redes de pesca abandonadas nos oceanos que matam centenas de seres que ficam presos nelas. Assim como, o derrame de combustível (fuelóleo) no oceano, entre outras.

Ave coberta de petróleo, como é triste!

O inchaço e danos causados por uma dessas bandas de plástico ao redor do pescoço de um leão-marinho são dolorosamente visíveis.

(http://libertanimalteu04.blogspot.pt/2012/02/horriveis-imagens-mostram-como-os.html)

A praia em Mumbai, Índia: mais plásticos do que plâncton.

Como é triste! 

O homem está a seguir um caminho demasiado errado!

Nós vivemos num paraíso! O nosso planeta é demasiado belo! Infelizmente, o homem está a transformá-lo numa lixeira gigante… Num futuro próximo será impossível viver no nosso planeta! Assim vejo…

Ganha consciência do quão prejudicial é o lixo. Ele sai da nossa porta, mas não da nossa casa global!

Pensa nisto, e AGE de forma correta!


2 comentários

nokitas · 7 de Abril de 2013 às 22:18

Sem dúvida!! Só lamento, é que o homem ganacioso não se aperceba de tal!
Infelizmente, o dinheiro é o que mais lhe convém, nada mais! 🙁

thiago · 5 de Abril de 2013 às 22:43

já esta na hora de mudar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos relacionados

Poluição no nosso Mundo

Tipos de poluição: até quando o planeta aguentará?

O ser humano já se habituou a viver no meio da poluição, mas até quando ele irá aguentar ou até quando o nosso planeta aguentará o excesso de poluição? Na minha opinião, o homem só Ler mais…

Poluição no nosso Mundo

O rio mais poluído do Mundo!

Há muito, muito tempo, existia um rio chamado Citarum. Localizado na Indonésia, mais propriamente em West Java. Este rio tinha águas cristalinas. Os peixes saudáveis abundavam. Os pescadores pescavam-nos, e vendiam-nos. Para poderem alimentar as Ler mais…