“Os Quartos da morte” na China…

Domingo, 28 Março 2010 12:16

Todos nós sabemos que a China é um país imenso e muito poderoso, mas na minha opinião, o poder deveria ser posto em prática de uma outra forma, e não deveria nunca oprimir o povo.

E digo isto, porquê?

Porque aqui à uns tempos, vi uns vídeos no Youtube que me entristeceu e indignou bastante. Na China, existem os “quartos da morte”, ou seja, quartos onde as crianças (na maioria meninas) são deixadas para morrer. Mas até que tal aconteça, estas passam por uma agonia e sofrimento constantes. É mesmo muito cruel e desumano a forma como se põe fim à vida de um ser humano. Um ser que não pediu para nascer.

Com que direito fazem tal crueldade?

E tudo isto, porque não pode nascer mais do que um filho por casal (política instituída desde 1979). Quando por “azar” nasce mais um filho (a), os pais são obrigados a abandonar a criança em orfanatos (quartos da morte) com condições precárias. Desolador não achas?

Como é que em pleno século XXI se pratica tais atrocidades em crianças?

Será que não existe um outro método para se controlar a natalidade?

Não entendo!

Sinto-me mesmo muito minúscula, perante a forma como o ser humano julga poder resolver todos os seus problemas! Se é que se pode chamar de problema, a um nascimento.



Se tratamos um ser da nossa espécie assim… Agora entendo porque é que o ser humano pratica certas atrocidades com outros seres que não os da sua espécie.

Pois, alguns seres humanos não têm a capacidade de sentir verdadeiramente, são demasiado desumanos. Mais parecem não ser, seres humanos.

Dói muito imaginar o que estas pequenas crianças devem sentir.


Esta cruel realidade praticada nas crianças, era desconhecida pela maioria dos países. Mas devido à coragem de uma televisão inglesa, esta realidade chinesa foi exposta ao mundo, através de uma reportagem intitulada, “Os Quartos da Morte” (The dying rooms 1996), sendo esta produzida com câmaras ocultas.

Para além desta reportagem, o Doutor Zhang Shuyun (entre outros), também denunciou as atrocidades cometidas nas crianças, arriscando a sua própria vida. Este, refugiou-se nos Estados Unidos e levou consigo provas (fotos e fichas médicas) que confirmavam a morte de muitas crianças nos orfanatos do Estado.

Nestes orfanatos, as crianças estão sujeitas ao pior cenário que possas imaginar.

Muitas são amarradas a “bancos”, o que leva a que tenham comportamentos anormais, por vezes, o stress é tanto que leva as crianças a baterem constantemente com a cabeça umas nas outras.

Morrem desidratadas e desnutridas. É um cenário horrível!

Por vezes, interrogo-me, se desde 1979 um casal só pode ter um filho (a) será que esta brutalidade se pratica desde essa data? Quantas crianças inocentes já devem ter morrido!?

E tudo isto, deve-se à estupidez humana. Incapaz de resolver situações que não são impossíveis de se resolverem com dignidade.

Na minha opinião, se querem controlar os nascimentos que o façam com consciência, e não com desprezo para com as crianças já nascidas.

Esta situação não se trata de um controlo de natalidade, mas sim, de infanticídio!

Convido-te a visualizares a reportagem, The Dying Rooms (em quatro partes):



Para que saibas, caso desconheças, a população da China ultrapassa os 1,25 biliões de pessoas. Desta forma, é compreensível que devam controlar a natalidade, mas de uma outra maneira que não a que está em prática.

A política de um filho por casal, já impediu o nascimento de cerca de 300 milhões de crianças.

Aos casais que têm um segundo filho (considerado ilegal), são-lhes aplicadas multas, ou obrigados a serem esterilizados, entre outras sanções. Se por acaso, as mulheres engravidarem pela segunda vez, estas escondem a gravidez, acabando por abandonar a criança, outras, desesperadas com receio de serem apanhadas, matam a criança assim que nasce.

O governo exagera, e muito, nos seus métodos. Seria desnecessário provocar-se tanto pânico, principalmente, nas mulheres. De certeza que existem outras alternativas, sem serem estas tão cruéis.

Só para teres uma ideia, em certas localidades na China, existe uma equipa feminina para acompanhar o ciclo menstrual da mulher; para se ter um filho é necessário pedir-se autorização (autorização de nascimento); funcionários públicos aparecem de surpresa durante a noite em casa de mulheres que suspeitam terem engravidado, estas consideradas então infractoras, são detidas até que decidam abortar.

Muitas destas mulheres estão quase no fim da gravidez e são obrigadas a sujeitarem-se ao aborto. Segundo a informação que eu li, existem relatos de bebés que nascem vivos e acabam por ser mortos pelos médicos, com injecções letais ou por afogamento. Sinceramente!

Visto que o povo chinês é demasiado fértil, o governo deveria tomar medidas sim, para se controlar a natalidade, mas não praticar abusos contra crianças que não têm culpa de terem nascido, nem contra as mulheres, sujeitando-as a viverem aterrorizadas com o simples facto de saberem que esperam um segundo filho.

Na minha opinião, e na de muitos, a China está a desrespeitar os direitos humanos.

Que mundo é este em que eu vivo?

refugiou

Partilhe este artigo na Rede:

  • email
  • Facebook
  • LinkedIn
  • Google Bookmarks
  • MySpace
  • Digg
  • Reddit
  • Twitter
  • Live

10 Comentários

  1. rute   |  Segunda-feira, 29 Março 2010 em 18:01

    “A pior coisa que pode acontecer a um povo é perder
    a vontade de perdurar: os filhos são a forma humana da esperança.”(Joaquín García-Huidobro)

    É horrivel saber que existe tanta maldade….sinceramente nem sei o que dizer…so apenas que me entristece profundamente ser humana

  2. Paolo   |  Domingo, 28 Novembro 2010 em 21:36

    A China é lixo, fica aí a verdade.

    E ainda querem pagar de ‘futura potência mundial’.

  3. elisangela   |  Sábado, 12 Maio 2012 em 19:27

    e Deus disse :deixai-vos vir a mim os pequeninos porque deles é o reino dos céus quem a um deles ferir é a mim que estará ferindo…
    …cheguei a conclusão de que é o anjo das trevas que governa o mundo e quem faz tais atrocidades são seus discípulos…

  4. Catarina Arruda Farias Guerra   |  Terça-feira, 24 Julho 2012 em 21:08

    ACREDITO QUE A ESTERILIZAÇÃO DO CASAL DEVA OCORRER LOGO APÓS O NASCIMENTO DO PRIMEIRO FILHO, MAS MEU COMENTÁRIO OBJETIVA A CORREÇÃO DE UM ERRO COMETIDO QUASE QUE FREQUENTEMENTE EM ARTIGOS QUE FALAM DAS MORTES INFANTIS É A EXPRESSÃO “INFANTICÍDIO” QUE NA VERDADE SÍGNICA, CONFORME REGE O ARTIGO 123 DO CÓDIGO PENAL E AINDA A MEDICINA “TRATA-SE DE QUANDO A MÃE MATA O PRÓPRIO FILHO EM ESTADO PUERPERAL OU POR INFLUENCIA DESTE”.

  5. MariadaSilva   |  Terça-feira, 28 Agosto 2012 em 9:46

    O que não entendo é o seguinte. Eles devem ter um problema de burrice cronica também, incorrigível. Se não querem gente. Histeréctomisem todos antes de terem filhos e o problema foi resolvido. Façam como Lenin 5 anos sem filhos. Vocês viram isto daí. E mesmo as crianças filhas únicas que nascem vocês já viram como elas são tratadas? com meses são tiradas da família. Vão para tipo quarteis generais, são educadas e criadas por soldados. Devem ser de uma meiguice (sic)sem fim. Se eu tivesse nascido lá teria morrido já na infância de tanta infelicidade. Gente a questão não passa muito pela quantidade mas pela qualidade. De que adianta crianças se as coitadas todas elas sem excessão não tem infância não tem família carinho nada. Por isso se transformam em monstros. Eu seria monstro. Tendo este tratamento, e as pessoas que trabalham nessa área da saúde psiquiatras, psicólogos, analistas, sabem que é irreversível. Ou com tratamentos a duras penas, mas serão pessoas doentes a vida inteira. E que Deus tende piedade desse nosso mundo cada dia mais louco.

  6. vasco amaral   |  Quarta-feira, 07 Novembro 2012 em 20:59

    muito bom realista e queria deixar um apelo conseguiram fazer uma coisa assim sobre as politicas antinatalistas ate dia 9 de Novembro de 2012

  7. nokitas   |  Terça-feira, 20 Novembro 2012 em 13:19

    Obrigada, Vasco! (:

  8. Luis Ferreira Machado   |  Sexta-feira, 01 Fevereiro 2013 em 21:52

    è dificil ver um animal irracional ser maltratado. Um ser humano deve ser sagrado. Uma criança, além de sagrada deve ser protegida por toda a comunidade. Somos impotentes perante esta situação. Devemos apelar à ONU. UNICEF e outras instituições mundiais (EUA e RÚSSIA etc.) para por cobro a isto. Há outros métodos para controlar a natalidade sem se recorrer à barbárie.

  9. lia   |  Segunda-feira, 12 Agosto 2013 em 23:34

    e os direitos humanos fazem o que? esses governantes malditos tem que serem exterminados.

  10. marisa   |  Quinta-feira, 26 Junho 2014 em 16:47

    o povo mais nojento que existe a face da terra … deviam morrer todos os que praticam estas barbaries….. ainda me veem falar da onu … puta que os pariu a todos ….

Deixar uma resposta